Secretaria de Cultura no Twitter  Secretaria de Cultura no YouTube  Secretaria de Cultura no Facebook

Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB)

Um centro cultural multimídia de 17 mil m², com museu, biblioteca, teatros e cinema. Localizado na esquina da Av. Presidente Vargas com a Rua Primeiro de Março, no centro do Rio.

Sobre

A rotunda
mais fotos

Apresentação



O Centro Cultural Banco do Brasil ocupa o número 66 da Rua Primeiro de Março, no centro da cidade do Rio. Reside em um prédio de linhas neoclássicas que, no passado, esteve ligado às finanças e aos negócios. Desde o fim da década de 80, se tornou um centro cultural multimídia, polo artístico da cidade.

Museu

Inaugurado em 1955, o museu possui uma importante coleção numismática formada por cerca de 38.000 peças entre moedas, medalhas, cédulas e outros valores impressos nacionais e estrangeiros. No acervo destacam-se raros exemplares das moedas obsidionais cunhadas pelos holandeses no Recife no século 17 e a moeda em ouro de 1822, lançada para comemorar a coroação de D. Pedro I e hoje considerada a mais valiosa da numismática brasileira.

O Museu preserva também uma curiosa coleção de antigos utensílios de escritório, tais como telefones, máquinas de escrever e calcular, carimbos e variados objetos, além de peças de mobiliário utilizadas em antigas dependências do banco.

Conta ainda com algumas obras em pintura, gravura e escultura relacionadas com a história do banco, destacando-se a coleção iconográfica de D. João VI e sua época, com 45 peças, entre óleos, gravuras, desenhos e objetos diversos ligados à figura do fundador da instituição.

Videoteca

A videoteca do Centro Cultural Banco do Brasil possui mais de 3.700 títulos, entre DVDs e fitas VHS, selecionados de acordo com o perfil da programação de cinema da instituição. Quatro cabines de vídeo, cada uma para até três pessoas, permitem ao frequentador assistir ao seu próprio programa, acompanhados ou não, através da seleção de filmes do acervo.

O acervo inclui clássicos e filmes mudos, destaques do cinema brasileiro e internacional, filmes musicais e sobre artes, adaptações de obras literárias, curtas e médias-metragens, animação, documentários, performances artísticas e produções em vídeo. O cinema nacional ocupa lugar privilegiado na coleção, que retrata períodos e movimentos como a chanchada, o cinema novo e o cinema de invenção. Pode-se, ainda, rever os registros de eventos realizados pelo CCBB, desde a sua fundação.

Biblioteca

Criada em 1931, a antiga biblioteca do Banco do Brasil - originalmente voltada para assuntos mais técnicos - é hoje uma importante fonte de consulta nas áreas de artes, ciências sociais e literatura, com acervo de 120.000 títulos totalmente informatizado, atualizado e periodicamente higienizado por uma equipe da APAE - Niterói.

Seus 2.200 m² abrigam um salão de leitura para 100 pessoas, 3 salas para a coleção geral, uma sala de referências com enciclopédias e dicionários, uma sala de literatura infantojuvenil com mais de 2 mil títulos, uma sala de multimídia, além das salas de edições especiais e obras raras, Mozart de Araújo e José Guilherme Merquior.

Arquivo Histórico e Memória CCBB

Criado juntamente com o museu, em 1955, o Arquivo Histórico preserva uma significativa coleção de antigos documentos, como o alvará e os estatutos de criação do Banco do Brasil editados pela Imprensa Régia em 1808, assinados pelo príncipe regente D. João. Possui também atas, relatórios, instruções, fotografias, livros de registro e de contabilidade e plantas de agências.

A Memória CCBB mantém a documentação referente às atividades do CCBB, além de registro de todos os seus eventos em áudio e vídeo.

Salas de Exposição

São 1.430 m² distribuídos por dois andares além de espaços para grandes peças no foyer e na rotunda. No primeiro andar são 900 m² contínuos e no segundo, 530 m² distribuídos em 4 salas.

Cinema

Localizado no térreo, com 110 lugares, exibe filmes de arte, mostras retrospectivas e festivais.

Sala de Vídeo

Com uma plateia de 53 lugares, a sala exibe filmes de arte, mostras retrospectivas e festivais e está localizada no mezanino.

Teatros

São 3, o primeiro, no térreo, tem palco exclusivo para montagens teatrais e 175 lugares. O segundo, no 2º andar, possui palco adaptado para espetáculos de música erudita e popular, dança e peças teatrais e tem 158 assentos.

O terceiro também está no 2º andar, e é um espaço alternativo para espetáculos de música popular e instrumental e para peças teatrais não convencionais. Sua plateia tem capacidade variável, dependendo da forma de utilização do espaço.

EQUIPE

Gerente Geral
Marcos Mantoan

Gerência de Programação
Danon Lacerda

SERVIÇOS

Como chegar

Ônibus:
Diversas linhas passam na região, por exemplo: 438 / 157 / 170 / 172 / 179

Barcas:
Estação Barcas S/A Praça XV

Metrô:
Estação Carioca

Ingressos

As exposições, biblioteca, museu e arquivo histórico e memória têm entrada gratuita
Para preços de cinema, espetáculos musicais, de teatro e dança, consulte o site do centro.
Clientes do Banco do Brasil pagam meia-entrada apresentando o cartão do Banco na bilheteria.
Palestras, debates, mesas-redondas, Sessão Criança e sessões de cinema e vídeo seguidas de debates com retirada de senhas meia hora antes do evento.
Reservas somente para o teatro e válidas somente até 30 minutos antes do espetáculo.
Tel.: (21) 3808 2007

Museu

Localizado no 6º andar do prédio
Quarta a segunda, das 13h às 18h

Videoteca

As sessões acontecem às 11h, 13h, 15h, 17h e 19h e reservas podem ser feitas pessoalmente ou por telefone. O acesso às cabines se dá mediante a aquisição do videopasse, credencial com 30 dias de validade que possibilita também o ingresso a toda a programação da sala de vídeo do CCBB
Quarta a segunda, das 10h às 21h
Tel.: (21) 3808 2050

Biblioteca

Quarta a segunda, das 10h às 21h
Tel.: (21) 3808 2030
E-mail: ccbbrio@bb.com.br

Arquivo Histórico e Memória CCBB

Localizada no 6º andar do prédio
Quarta a segunda, exceto sábados e domingos, das 13h às 18h
Tel.: (21) 3808 2353

Cinema

Localizado no térreo, com 110 lugares

Sala de Vídeo

Plateia com 53 lugares, localizada no mezanino

Teatro I

Localizado no andar térreo, possui plateia com 175 lugares, incluindo boxes para 3 cadeiras de rodas

Teatro II

Localizado no 2º andar, possui plateia com 158 lugares, incluindo boxes para 3 cadeiras de rodas

Teatro III

Localizado no 2º andar, possui plateia com capacidade variável, dependendo da forma de utilização do espaço

Auditório

Localizado no 4º andar, possui plateia com 90 lugares e mesa com lugar para até 8 palestrantes

Laboratório de Restauração

Conserva e recupera o acervo da Biblioteca, do Museu e do Arquivo Histórico
Localizado no 2º e no 6º andares do prédio.
Quarta a segunda, exceto aos sábados e domingos, das 13h às 18h
Tel.: (21) 3808 2353

Programa Educativo

Agendamento de grupos, de terça a sexta, das 12h às 18h
Tel.: (21) 3808 2070 (21) 3808 2254

Visitas Guiadas

Visita ao prédio do CCBB para grupos em geral, em português e inglês, sob agendamento prévio
Quarta a segunda, exceto aos sábados e domingos, das 12h às 18h
Tel.: (21) 3808 2070 (21) 3808 2254.

Bonbonnière

Localizada no térreo
Quarta a segunda, das 10h às 21h

Guarda-volumes

Disponíveis no térreo, 1º e 5º andares

Livraria da Travessa

Localizada no térreo
Quarta a segunda, das 10h às 21h
Tel.: (21) 3808 2066

Restaurante Brasserie Brasil

Localizado acima da livraria, no mezanino do térreo
Quarta a segunda, das 11h às 21h
Tel.: (21) 3808 2080

Sugestões

Formulário à disposição no Balcão de Informações

Ouvidoria BB

Diariamente, 24 horas
Tel.: 0800 729 5678
Ou pelo site

Acessibilidade

Há rampas de acesso na entrada da Av. Presidente Vargas e banheiros adaptados no térreo e 2º andar; há boxes para cadeiras de rodas nos teatros I, II e III e cinema; há elevadores de acesso à videoteca e ao restaurante no mezanino

Com projeto de Francisco Joaquim Bethencourt da Silva, arquiteto da Casa Imperial, o prédio foi inaugurado como sede da Associação Comercial, em 1906. Sua rotunda abrigava o pregão da Bolsa de Fundos Públicos.

Na década de 20, passou a pertencer ao Banco do Brasil, que o reformou para abertura de sua sede. Esta função tornou o edifício emblemático do mundo financeiro nacional e durou até 1960, quando cedeu lugar à Agência Centro do Rio de Janeiro e depois à Agência Primeiro de Março, ainda em atividade.

No fim da década de 80, resgatando o valor simbólico e arquitetônico do prédio, o Banco do Brasil decidiu transformá-lo em um centro cultural. O projeto de adaptação preservou o requinte das colunas, dos ornamentos, do mármore que sobe do foyer pelas escadarias e retrabalhou a cúpula sobre a rotunda. Inaugurado em 12 de outubro de 1989, transformou-se em polo artístico multimídia com 17 mil m².